sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Festas Felizes


História Antiga

Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.
E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da nação.

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.

(Miguel Torga)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009



quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Dia Mundial dos Direitos Humanos

Foi ontem que se comemorou este dia, pois em  10 de Dezembro de 1948  a Assembleia Geral das Nações Unidas adoptou e proclamou a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS.
 E apesar de nas últimas seis décadas  os direitos humanos estarem sempre na ordem do dia, cada vez mais somos conhecedores de abusos intoleráveis e desculpas inaceitáveis para que se garantam, efectivamente esses direitos.


Para ler, neste dia " Flor do Deserto", escrito na primeira pessoa pela mão de Waris Derie e publicado pelas Edições ASA.
Waris Dirie (nome que significa Flor do Deserto) tem uma vida dupla- durante o dia, é uma modelo famosa a nível mundial e a porta-voz das Nações Unidas para os direitos das Mulheres em África; à noite, os seus sonhos levam-na da volta a casa, na Somália onde ...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Aconteceu na EB1 de Bitarães - Textos Poéticos

Textos Poéticos

Mais Uma História de Natal

Natal_nas_Asas_do_Arco-Íris

Aconteceu no JI da Mó - Corre Corre Cabacinha

Aconteceu no JI de Carregoso - A Borboleta Matilde

Hist Borboleta Matilde

Aconteceu no JI de Igreja - Meninos de Outono

Somos 25 meninos e meninas. Temos 1 Educadora, 1 Auxiliar, 1 Animadora e 1 Cozinheira. Gostamos muito da nossa escola. Está muito bonita, cheia de trabalhos, porque trabalhamos muito. Temos também muitas surpresas feitas pelos Meninos, Professora, Avós, Pais, Mães, Primos e Amigos que nos ensinam a fazer trabalhos muito bonitos.


Um dia aprendemos a história dos Meninos do Outono:

MENINOS DE OUTONO

Era uma vez umas folhas de Outono, que viajaram nas mochilas dos meninos que frequentam o Jardim de Infância de Igreja, Bitarães. As folhas pularam de dentro das mochilas para cima de folha de papel. A cola ajudou-as a ficarem juntas, as tintas e os pincéis ajudaram ao nascimento dos Meninos de Outono.

Os meninos de Outono ficaram muito contentes. Tinham caras muito engraçadas, o seu corpo era VERDE, CASTANHO, VERMELHO ou AMARELO. Tinham chapéus, saias, calças, cabeleiras e sapatos muito engraçados. De tão bonitos que ficaram agora são nossos amigos e vão ficar connosco, durante o Outono. Quando chegar o Inverno teremos que nos despedir e dizer: ATÉ PARA O ANO.

No dia do nosso Magusto apanhamos muitas folhas do Outono, no recreio.



Como gostamos muito dos Meninos do Outono quisemos fazer com as nossas folhas e ficaram assim:

MUITOS BEIJINHOS E UM FELIZ NATAL.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Ilse losa, a Escritora do Mês de Novembro



No passado dia 26 de Novembro, a nossa turma (5.º D) e a nossa professora de Língua Portuguesa, Celeste Fontelas, convidámos a turma do 5.º H para um fórum de leitura que se realizou no Centro de Recursos da Biblioteca.
Em Oficina de Leitura, lemos algumas obras de Ilse Losa, escritora do mês de Novembro, que depois apresentámos aos nossos convidados.
Os presentes começaram por visionar um movie maker sobre a biografia e bibliografia da autora. De seguida, alguns de nós demos a conhecer as nossas leituras, resumindo as histórias, lendo alguns excertos e até falámos daquilo que sentimos ao lê-los.
Neste fórum concluímos que, para escrever os seus livros, Ilse Losa inspirou-se nas histórias que ouviu em criança e nas suas vivências, privilegiou os temas relacionados com os animais (especialmente os cães), a natureza e os afectos.
Achámos muito interessante esta experiência pela homenagem prestada a Ilse Losa, pela novidade, pela oportunidade de conhecer melhor esta escritora e pela interacção com outros alunos. Quanto aos alunos do 5.º H, ficaram, também, curiosos e com vontade de ler Ilse Losa.
Boas leituras!
                                     Os alunos do 5.º D

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

O mundo celebra hoje, 3 de dezembro, o Dia Internacional das Pessoas com Deficiências.
E por isso deixamos aqui três sugestões de leitura que, com toda a certeza, não vai conseguir de deixar ler até ao fim.


"Memórias de uma mãe sobre o seu filho Autista", no seu  titulo original "News from the border, a mother's memoir of her autistic son", é um relato fiel da vida da autora, Jane McDonnell, acerca da experiência da sua família com o autismo
Lisboa : Círculo de Leitores, 1995



"O Grito da Gaivota"- Emmanuelle Laborit é surda profunda. Neta do cientista Henri Laborit, actriz agraciada com o Prémio Molière, é a protagonista deste testemunho, marcado pela memória de um crescimento em que viveu diferente.
Editorial Caminho, 2000


Com o titulo Original "One child", este livro é um relato verídico e bastante comovente da experiência da própria autora Torey Hayden, professora de ensino especial,  que acompanha crianças com perturbações mentais e emocionais.

Editorial Presença, 2007

Duas Histórias de Natal

NOITE_DE_NATAL_-_SOFIA
GUI_E_O_NATAL_VERDE

Contando Histórias


Os meninos do Jardim de Infância da Mogueira receberam a escritora Manuela Ribeiro que lhes  foi  apresentar o colorido  Livro e CD "Jardim do Arco-Íris".


FÓRUM de LEITURA



Desta vez, foram os alunos do 5ºC da Professora Celeste Fontelas que estiveram à conversa com os alunos do 5ºH do Professor Rosmaninho sobre a obra da escritora Ilse Losa.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

O Diário de Zlata


Zlata era uma rapariga normal: ia à escola, tinha amigos, uma casa, uma família… Mas tudo isso estava prestes a acabar.
Tudo começou com uns boatos de que a guerra estava a chegar e com um homem morto a tiro num casamento. Os «queridos meninos», que é como Zlata trata os políticos, desmentem os boatos e dizem que tudo vai voltar ao normal. Mas não. A partir daí começam a morrer mais pessoas, caem obuses (bombas) e a guerra rebenta às portas da casa de Zlata. O seu mundo, aos poucos o mundo de Zlata vai desabando e o seu único confidente é o seu diário. Os seus desabafos passam a retratar sofrimento. Uma passagem que representa o que afirmei é: “Já não posso mais (bato na madeira para que tudo recomece. Bato com muita força. O mais forte que posso.). Não…! Oiço tiros, começaram outra vez!!
Mas o pior ainda está para vir… O Inverno chega, não há comida, água ou electricidade. Todos os amigos de Zlata partem em comboios para outros locais e os que não escapam morrem. É nesses momentos que o diário é mais importante.
Entretanto, o diário de Zlata é escolhido e publicado em muitos países. Este acontecimento traz um pouco de felicidade ao seu mundo pois permite a Zlata contactar com pessoas do exterior, uma coisa que já não acontecia há muito tempo.
Recomendo vivamente este livro a toda a gente pois tem uma escrita muito desenvolvida e retrata o sofrimento de um povo. E quem melhor para o fazer que uma criança?
                                                  Inês de Fátima Neto Gandra -  nº6, 6ºF